Reforço e Recuperação Estrutural

RECUPERAÇÃO E REFORÇO DE ESTRUTURA em obras de Reforço estrutural com fibra de carbono, aplicação de micro-cimento, recuperação de reservatórios, recuperacao e reforço de pontes ou qualquer estrutura de concreto que venha sofrer desgaste pela ação do tempo ou interferência de agentes químicos, físicos ou biológico ou que ainda necessite de aumento de carga.

Proteção Mecânica

Imagem de proteção mecânica

As proteções mecânicas atuam como elemento de manutenção da integridade e estrutura e visam proporcionar uma superfície resistente á ataques físicos, químicos e biológicos.

Proteção Ignifuga (Fire Proofing)

Imagens de proteções ignifugas

As proteções ignifugas permite a automação do processo de concretagem e o controle rigoroso das características da argamassa e do concreto, com a garantia da resistência e das propriedades físicas do concreto em consonância com a norma da Petrobras N-1756 – “Projeto e Aplicação de Proteção contra Fogo em instalações terrestres”.


Concreto Projetado por via Úmida

Permite a execução de recuperação de pontes e viadutos, o reforço e a proteção estrutural de usinas siderúrgicas, a realização de serviços de manutenção predial. Também é utilizada para o reforço de muros de arrimo, proteção mecânicas e recuperação de unidades armazenadoras.

Processo Executivo

O processo executivo de uma recuperação deve se basear nas características e no tipo de construção, além das causas do problema existente. Para o caso de uma recuperação estrutural que envolva o tratamento de um substrato deteriorado, o primeiro passo é a escarificação da superfície para a remoção do concreto danificado. Como geralmente o problema é a oxidação das armaduras, faz-se necessário a aplicação de inibidores que retardem o processo corrosivo. Em alguns casos, em que a perda de seção do aço está em estágio avançado, é realizada a troca da armadura. Por último, a recomposição da geometria da peça é feita de acordo com a necessidade, com a projeção de argamassas pré-dosadas e tixotrópicas ou jateamento de concreto aditivado.
processo executivo de recuperação
Já para um reforço de uma estrutura com o aumento das seções resistentes de vigas, pilares, lajes, tabuleiros de pontes e vigas-parede é feita a projeção de concreto sobre a superfície existente de forma a se obter um elemento monolítico com maior capacidade de carga. Podem ser aplicados também polímeros em áreas sob o ataque de químicos ou argamassas pelo processo de jateamento.

Fibra de Carbono

As fibras de carbono são um sistema compósito para reforço em estruturas de concreto. A função do sistema é de complementar a área de aço necessária, controlar a distribuição das fissuras e limitar suas aberturas, além de enrijecer o elemento estrutural, diminuindo a deflexão. É ideal para aplicação em carregamentos contínuos. Pode ser aplicado no reforço de lajes, vigas, pilares, paredes, chaminés, túneis, tabuleiros de pontes, reservatórios, etc.

Processo Executivo

Antes do início da aplicação da fibra, é necessário realizar a regularização do substrato, por meio da aplicação de resinas epoxídicas e lixamento da superfície. Em primeiro lugar é feito o lixamento para corrigir as imperfeições da região a ser recuperada. Em seguida são aplicados adesivos químicos para a colagem dos sistemas compostos ao substrato de concreto. Estes adesivos estabelecem um meio de transferência das tensões de cisalhamento entre o substrato de concreto e as camadas de compósitos laminados. Os adesivos são divididos em imprimadores primários, cuja função é penetrar no substrato de concreto, colmatando-os, para permitir a construção de uma ponte de aderência para a resina de saturação.

Aplicação das fibras

Os regularizadores de superfície são utilizados para o preenchimento de vazios – calafetação – ou correção de imperfeições superficiais, propiciando uma superfície lisa e desempenada sobre a qual o sistema compósito será colado. As resinas de saturação são utilizadas para a impregnação das fibras, fixando-as no local. Por último é feita a colagem das camadas de fibra de carbono e, caso necessário, são utilizados revestimentos que protegem a superfície colada de potenciais efeitos danosos produzidos pelo meio ambiente em que está inserido.